sábado, 3 de maio de 2008

Existência



Somos luzes inertes acesas de trevas
em dias abortados de existência
aguardando na posição fetal da fantasia
uma alma nómada grávida de utopia.


Alberto Pereira